Unha encravada: causas e dicas para evitar o problema


O encravamento acontece geralmente na unha do pé devido ao corte incorreto e/ou ao uso de sapatos apertados



O que causa a unha encravada?

Foto: Getty Images



O podólogo José dos Santos, profissional do Walter’s Coiffeur, ressalta que a unha encravada costuma ocorrer pelo uso de sapato apertado, corte incorreto das unhas e fatores hereditários.

Ou seja, quem tem familiares com histórico de unha encravada, pode ter mais chances de desenvolver o problema (às vezes até nos primeiros anos de vida). Mas esta não é uma regra / um fator determinante.
Cleide explica que, normalmente, a unha encravada é ocasionada pelo corte feito de maneira errada. “Quando as unhas são cortadas muito curtas ou com as pontas arredondadas, o que pode fazer com que a unha vire e cresça para dentro, por exemplo; ou ainda, quando há uma pressão extra sobre os dedos do pé (no caso de um sapato apertado, por exemplo).”

Vale destacar que a unha encravada pode ocorrer devido à própria morfologia da unha (unhas curvadas para dentro) e/ou à anatomia dos dedos (mais gordinhos dos lados, por exemplo).
Dessa forma, de maneira resumida, podem ser destacados como principais causas do encravamento das unhas:

  • Corte incorreto;
  • Uso de sapato apertado;
  • Formato das unhas e/ou dos dedos;
  • Fatores hereditários.
Neste contexto, você confere as principais dicas para cuidar das unhas da melhor maneira possível, evitando este problema desagradável.

7 dicas para ter unhas bonitas e sem encravar

unhas

As principais orientações para evitar que as unhas encravem são:
  1. Manter a unha sempre quadrada;
  2. Usar sapatos com bicos largos, que não pressionem os dedos;
  3. Usar sapatos fechados somente quando necessário, deixando sempre que possível as unhas livres (com o uso de chinelos, rasteirinhas);
  4. Cortar a unha a cada 15 dias ou, pelo menos, 1 vez por mês para manter o corte correto;
  5. Especialmente no caso de ter unha encravada com frequência, é fundamental manter contato com seu podólogo regularmente, não deixando ainda que outras pessoas sem experiência cortem suas unhas;
  6. Não tentar cortar suas unhas em casa, especialmente se você já tiver tido problema de unha encravada;
  7. Não ficar “cutucando” e/ou tentando desencravar uma unha que você acha que está encravada.

Estou com uma unha encravada. E agora?

Foto: Getty Images
Confira abaixo as respostas dos profissionais para quem costuma ter com frequência ou está, no momento, com as unhas encravadas:


1. Devo tentar desencravar? Como fazer isso de forma segura?


“Não tente desencravar em hipótese alguma, pois isso pode acarretar agravamento do problema. O podólogo é o profissional habilitado a tratar das podopatias existentes nos pés. Através de instrumentos apropriados, esterilizados. O procedimento é feito de maneira rápida e eficaz”, orienta José.

Cleide comenta que, caso não seja algo que esteja realmente incomodando, a pessoa pode cortar essa unha, deixando o pé de molho em água morna para amolecer; sempre usando um cortador de unhas bem limpo e afiado, e não cortando a unha muito curta. “Mas, o certo mesmo é não ficar cutucando a unha e procurar ajuda de um profissional, de preferência um podólogo”, diz. 

“Se for o caso, o profissional vai iniciar um tratamento com órtese, aparelhos para desencravar unhas, que são colados em cima da unha para desencravar. O aparelho é um tipo de boton, fio metálico ou bráquete, o mesmo usado nos dentes, ele é colado em cima da unha fazendo pressão nos cantos e puxando a unha para cima”, acrescenta a podóloga.

“Existem ainda outros cuidados que o podólogo pode ter, no qual é colocado um anestésico na unha e é feita a retirada da espícula, canto da unha; e, depois de limpo, é feito um curativo. O tratamento pode chegar até a 6 meses”, explica Cleide.

Como cada caso é um caso e o encravamento da unha pode ou não estar em situação mais grave, o ideal é sempre procurar ajuda profissional.

2. Estou com uma unha encravada. Devo ir ao podólogo?

José comenta que, geralmente, a pessoa só consegue perceber que sua unha está encravada quando sente um incômodo ou dor forte, pois não tem como diagnosticar o problema. “Ao sentir o incomodo, deve procurar imediatamente um podólogo.”

Cleide reforça que sempre que a unha estiver incomodando, a pessoa deve procurar um podólogo, para não deixar que a situação chegue a um estado crítico. “A manutenção do tratamento deve ser feita uma vez por mês”, orienta.

3. E quando a unha encravada tem pus? O que fazer?

José explica que, neste caso, é realizado um procedimento chamado espiculotomia, retirada da espícula (unha). “Através de bisturis é retirado esse agente causador da inflamação. É feito um curativo oclusivo, e o paciente deve retornar em 24 horas para avaliação. Sendo este o prazo para melhoria dos casos.”

Em casos de unha encravada com pus, reforça-se a importância de não mexer no local, tentando desencravá-la e/ou retirar o pus – o que só agravaria e muito o problema.

4. Existe alguma cirurgia pra tratar unha encravada?

“Existe, é a cantoplastia ungueal, que é uma cirurgia de retirada dos cantos das unhas”, diz Cleide.
Além da retirada da porção lateral da lâmina ungueal onde há o encravamento, é realizada a retirada ou cauterização da raiz da unha naquele local para prevenir a volta do problema.

5. O que não se deve fazer em caso de unha encravada?

A regra básica, de acordo com Cleide, é não ficar mexendo nessa unha, para que ela não inflame mais.
Procure um profissional habilitado para tratar da unha, pois qualquer erro pode agravar o problema.

6. Existe algum remédio que posso aplicar em caso de dor e inflamação devido à unha encravada?

“Sim, pomada de mentol, cânfora e óleo de eucalipto, muito comuns no Vick Vaporub, pois alivia a dor e ajuda contra a inflamação”, orienta Cleide.

7. Existe alguma opção de remédio caseiro?

Cleide sugere colocar o pé na água quente com sal para aliviar a dor e dar conforto.

Vale ressaltar, porém, que esta medida, assim como a ideia de passar a pomada, podem ajudar a aliviar a dor, mas não irão resolver o problema. Por isso, a ida ao podólogo continua sendo indispensável.

A unha encravada, além de causar dor e incômodo, se não tratada, pode evoluir para um quadro de granuloma, também conhecido como “carne esponjosa”. Neste caso, além da forte dor, a lesão sangra facilmente, a pessoa já não consegue mais calçar sapatos e, às vezes, sente dificuldade para andar normalmente.

Por tudo isso, todo cuidado é pouco! Mantenha suas unhas cortadas sempre quadradas; se já tiver uma tendência maior ao encravamento das unhas, corte-as somente com um profissional de sua confiança; evite o uso de sapatos muito fechados e apertados; e, por fim, em caso de encravamento, tome cuidado para não piorar o quadro e procure logo a ajuda de um podólogo.


Fonte: Dicas de Mulher
Share on Google Plus

About Santarém-PA

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.